Estudantes do IF participam de programa de verão da Universidade de Stanford

Três estudantes secundaristas do Instituto Federal, Daniel Verdi do Amarante, do Campus Rio do Sul, Luisa Alves Escosteguy, do Campus Santana do Livramento, e Victor Maia, do Campus Recife, conquistaram a oportunidade de participarem de um programa de verão na prestigiosa Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

O Stanford PreCollegiate Summer Institutes é um programa de verão com duração de três semanas que provê um estudo intensivo para um tipo específico de curso para jovens curiosos, inteligentes e talentosos. Lá, Daniel e Victor estudaram o curso de ciências ambientais, e Luisa, o curso de teoria dos números.  A Equipe do Orgulho Federal entrevistou o grupo e você pode ver a entrevista na íntegra abaixo:

Orgulho Federal: Vocês podem nos contar um pouco de cada um?

Luisa: Tenho 17 anos, sou de Santana do Livramento, RS. Estou no último ano do técnico integrado em Informática para Internet no IFSul campus Santana do Livramento. Gosto muito de matemática e programação.

Daniel: Bom, eu sou de SC, moro em uma cidade bem pequena chamada Pouso Redondo e estudo no IF da cidade vizinha. Tenho 18 anos e estou no terceiro (e último) ano do técnico integrado à informática. Gosto de várias áreas, especialmente, engenharia, matemática e programação. Além disso, gosto muito de participar de feiras e olimpíadas científicas.

Victor: Tenho 16 anos, sou de Recife, PE. Estou no segundo ano do técnico integrado em Eletrônica no IFPE – Campus Recife. Sou apaixonado por física e meio ambiente e atualmente faço pesquisa na área de Engenharia Ambiental. Também sou apaixonado por olimpíadas, em especial as de física, Química e astronomia.

Orgulho Federal: E como vocês conheceram essa oportunidade de participar do Stanford Pre-Collegiate Summer Institutes (SPCS)?

Victor: Através da rede de contatos do Programa de Iniciação Científica Decola Beta (eu e o Daniel fazemos parte)

Daniel: Eu descobri o programa por meio de uma amiga que me adicionou em um grupo de apoio para quem estava aplicando no Facebook.

Luisa: Ano passado fui para o Yale Young Global Scholars (programa de verão da Universidade de Yale) e lá havia um menino que participou do SPCS

Orgulho Federal: Qual foi o papel que os Institutos Federais influenciaram nas oportunidades de vocês?

Victor: Acho que a importância do meu IF foi bem mais indireta. Por me mostrar que existem oportunidades fora das quatro paredes da sala de aula, você tem essa liberdade lá. Mas tem que correr atrás disso.

Luisa: Quando entrei no IF, fui exposta a muitas oportunidades que nem sabia que existiam, como olimpíadas científicas e projetos de extensão. Tive e tenho o apoio e incentivo dos meus professores em cada atividade, o que contribuiu para conseguir algumas medalhas e me deu base para sonhar mais longe: pretendo cursar a minha graduação nos Estados Unidos.

Daniel: No meu caso foi essencial: a maioria das atividades extracurriculares que participo, eu comecei depois de entrar no IF. Além disso, as cartas de recomendação foram quase todas de professores de lá. Mesmo tendo recebido bolsa integral no curso, eu não teria como pagar as passagens e só consegui vir porque vários professores fizeram doações na minha vaquinha.

Orgulho Federal: Obrigado pela entrevista concedida!

Os três estudantes também compartilharam conosco suas experiências em Stanford, todas incríveis e com diversas oportunidades para seu desenvolvimento acadêmico e interpessoal. E também deixam a dica para quem está interessado em tomar os mesmos rumos: defina bem suas metas e não deixe de trabalhar nelas!

Daniel Verdi do Amarante,  Luisa Alves Escosteguy e Victor Maia

Guilherme David

Fundador do OrgulhoFederal e da exempl.io. Formado no IFSP - Campus Cubatão em 2018, Guilherme tem a missão de promover uma educação holística no Brasil.

Comentários